Banco comunitário no Pará cria sua própria moeda digital

Um banco localizado na Ilha de Mosqueiro, trabalha para implantar o e-dinheiro.

Em período com tecnologia em alta e o crescimento dos bancos digitais no Brasil e no mundo, o Pará tem ganhado destaque, pois um banco comunitário, chamado Tupinambá, criado em 2009 trabalha para implementar uma nova categoria.

Com tecnologia digital, o e-dinheiro, é a nova aposta do Banco Tupinambá, localizado na Ilha de Mosqueiro, a 60 km da região metropolitana de Belém, capital do estado do Pará. Esse novo serviço bancário, permite a troca de recursos usando apenas Smartphone.

Veja mais

A nova modalidade bancária, vem beneficiando moradores da comunidade Baía do Sol, cerca de 9 mil pessoas. Os comunitário já estão acostumados a transferir e utilizar a moeda local, o moqueio, equivalente a R$ 1, permitindo o dinheiro circular na comunidade

O maior desafio do Banco Tupinambá agora, é tornar todas as transações por meio digital, e isso é positivo para ele, pois está se alinhando ao momento do crescimento do setor, entretanto, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), aponta que Mosqueiro tem 100% da cobertura 2G, 3G e 4G, tendo um sinal lento e até inexistente em alguns pontos da Ilha.

Além da Baía do Sol, o Banco Tupinambá tem outros pontos de fluxo financeiro na Ilha de Mosqueiro. Municípios como Colares e Santo Antônio de Tauá são beneficiados com a nova função do Banco, isso significa que com o e-dinheiro, existe a possibilidade de expansão, atendendo outros pontos do Pará, através da universalização da moeda. 

Fonte: Folha de São Paulo

Veja também5 dicas para você ganhar dinheiro nas redes sociais hoje

Sair da versão mobile